Cotação do Dólar Hoje

U$1,00 = R$2,2585 (compra)



U$1,00 = R$2,2591 (venda)

27/08/2014 valor pego no site bcb.gov.br

Cotação do Dólar – Entenda como funciona

A moeda americana serve como parâmetro para quase todas as economias do mundo. É como se fosse uma moeda universal, afinal, em muitos lugares, mesmo onde o dólar não é a moeda oficial, a circulação acontece livremente. Isso é mais comum, principalmente nos destinos turísticos que se aproveitam da valorização do Dólar perante as moedas locais para aumentar, ainda mais, a lucratividade com os turistas – isso é comum, principalmente, nos países onde o dólar é soberano.

Taxa de Câmbio

A taxa de câmbio é o valor de custo de uma moeda. Continuando essa definição simples, podemos reforçar o raciocínio dizendo que a taxa de câmbio é quanto vale uma moeda se formos compará-la com outra. Por exemplo:

Para ter U$1,00 eu preciso desembolsar R$2,35

Aqui no Brasil, o valor do dólar, perante o real, costuma ser flutuante. O Banco Central não define um valor padrão, deixando aberto para que as instituições financeiras façam o câmbio que convém – um acordo entre a parte que compra e a que vende. O Banco Central costuma fazer um levantamento dos valores praticados para determinar uma média nacional para a cotação do dólar.

Por isso, você deve ficar atento quando realiza compras em dólar com seu cartão de crédito, pois o banco pode praticar um valor diferente daquele anunciado como o valor médio da cotação do dólar. Claro que nenhum banco costuma extrapolar muito o valor divulgado do dia, porém, você pode encontrar variações – para cima ou para baixo, por isso, não se assuste.

Compra e Venda de Dólar

As instituições financeiras e casas de câmbio são livres para comprar o dólar com quem elas quiserem (desde que sejam lugares autorizados pelo BC) e de acordo com o preço exigido pelo vendedor. Não há uma determinação por parte do Banco Central sobre um lugar específico para a compra de dólar. Após realizar a compra por um valor X, essas instituições podem repassar para seus clientes – que costumam ser o cliente final, assim como eu ou você – o valor que elas bem entenderem. Como já foi dito acima, a cotação do dólar não é fixada pelo Banco Central e cada vendedor por praticar o preço que julgar necessário. É claro que a competitividade não deixa que aja tanta variação entre os valores finais da moeda.

Tipos de Dólar

Comercial: O Dólar comercial é aquele utilizado como base para importações e exportações. O seu valor pode variar durante o dia de acordo com a oscilação do mercado. Costuma ser a cotação do dólar divulgado e serve como referência par a comercialização legal.

Turismo: Como o nome já diz, o dólar turismo é utilizado para quem compra a moeda para fazer uma viagem para o exterior. Esse valor também costuma variar de acordo com as oscilações do mercado. Em épocas de alta, os especialistas costumam orientar para que os turistas comprem o dólar com antecedência, evitando assim, o custo elevado da viagem caso a cotação da moeda dispare. Comprar dólar turismo é uma “faca de dois gumes”, afinal, a flutuação do dólar pode fazer com que você ganhe ou perca em questão de dias. Porém, o mais indicado é sempre adquirir a moeda com antecedência para evitar surpresas que possam vir a impedir a viagem.

Paralelo: Esse dólar é vendido por pessoas ou empresas que não possuem autorização do BC. A cotação do dólar no paralelo é mais alto, por isso, a compra nessa modalidade não é um bom negócio, a não ser, que você não tenha outra solução.

Onde posso comprar dólar legalmente?

O dólar só pode ser comercializado por instituições que tenham autorização do BC. Costumam ser: bancos, corretores, agências de turismo, hotéis, casas de câmbio. Essa autorização é dada pelo Banco Central e você pode verificar a lista completa das instituições acessando o site do Banco Central. Clique aqui e veja onde você pode comprar dólar.

Pago imposto ao comprar ou utilizar o dólar?

Como tudo no Brasil, você terá que pagar taxas ao fazer movimentações de dólar. Independente da forma como você utilizou, a tributação será feita. O nome do imposto é o IOF (Imposto Sobre Operações Financeira). O valor desse imposto varia de acordo com a transação. Caso você tenha comprado à moeda, o valor do imposto é de 0,38% do total adquirido. No cartão de débito, o valor também é de 0,38% do total. Já nas transações feitas no cartão de crédito, o valor do imposto chega até 6,38% do valor total.

Dicas para quem vai viajar para o exterior

  • Compre dólar em casas de câmbio ou, preferencialmente em seu banco;
  • Não compre dólar no aeroporto, pois o valor praticado é maior do que o de outros lugares;
  • Veja a possibilidade de ter o dólar numa conta para utilizar o cartão de débito;
  • Caso tenha cartão de crédito internacional, utilize-o, porém, tome cuidado, pois se o valor do dólar subir antes do vencimento da fatura você terá que arcar com essa alta inesperada. Além disso, o IOF do cartão de crédito é maior;
  • Cartões Pré-pagos: utilize essa opção para que você não precise andar com dinheiro na carteira, pois ladrões não são exclusividades do Brasil, você encontrará em todos os países;
  • Caso você volte com dólar para casa, e opte por guardar, não se esqueça de declará-los em seu imposto de renda.

Quando o dólar cai?

A cotação do dólar cai quando há no mercado uma circulação intensa da moeda estrangeira. Juros altos e atuação de investidores no país também são fortes incentivadores para a queda do dólar. Porém, o dólar muito baixo torna o nosso mercado interno pouco competitivo, afinal, os produtos estrangeiros entrarão com muita força no mercado, prejudicando a saúde da indústria brasileira.

Quando o dólar sobe?

A cotação do dólar sobe quando a circulação da moeda diminui no país. Juros baixos e inflação alta são fortes incentivadores dessa alta do dólar. Além disso, a falta de confiança dos investidores em nosso mercado, afastando novos investimentos, também tem como consequência a alta do dólar. O dólar alto pode ser bom para as empresas brasileiras que exportam seus produtos para o exterior, afinal, o ganho que elas terão será maior, ou ainda, esse valor mais alto deixa nossos produtos / serviços mais competitivos no mercado externo, pois os valores finais para o consumidor estrangeiro não precisarão ser tão altos para compensar o dólar baixo.


  • Blogroll